jovensA luta contra o desemprego dos jovens constitui uma prioridade absoluta para a Comissão Europeia. A boa qualidade dos programas para aprendizes permitirá que os jovens adquiram aptidões e competências essenciais necessárias para serem bem-sucedidos no mercado de trabalho. Hoje, mais de quarenta empresas e outras organizações aderiram à Aliança Europeia da Aprendizagem, coordenada pela Comissão Europeia, e comprometeram-se a oferecer aos jovens mais e melhores programas para aprendizes. Os jovens poderão, assim, aceder a um total de 140 000 programas para aprendizes e de formação. A Comissão Europeia está empenhada em reforçar a oferta, a qualidade e a imagem dos programas para aprendizes.

Marianne Thyssen, Comissária da UE do Emprego, Assuntos Sociais, Competências e Mobilidade dos Trabalhadores, declarou o seguinte: «Acolho calorosamente os novos parceiros que hoje aderem à Aliança Europeia da Aprendizagem. Ajudar os jovens europeus a aceder a empregos de qualidade constitui uma das minhas prioridades. Juntos criaremos novas oportunidades para os jovens adquirirem as competências e a experiência necessárias no mercado de trabalho. Espero que um número ainda maior de empresas e outras organizações sigam este exemplo no futuro.»

Os novos compromissos foram assinados em Riga, durante uma reunião organizada pela Presidência letã, em que participaram os ministros responsáveis pelo ensino e pela formação profissional, os parceiros sociais europeus e a Comissão. Entre os principais compromissos assumidos pelas empresas assinalam-se os seguintes:

  •     A Adecco oferecerá, até 2017, formação em contexto de trabalho a 5 000 jovens na empresa principal ou numa das suas empresas parceiras.
  •     A Axa oferecerá, até 2018, oportunidades de emprego a 20 000 jovens, incluindo 10 000 contratos de trabalho a termo e sem termo e 10 000 postos para aprendizes ou estágios remunerados.
  •     A BMW alargará a sua formação profissional a nível internacional, nomeadamente através de um programa educativo dual personalizado, composto por uma formação prática na Alemanha e uma qualificação em Espanha. A BMW receberá 1 500 novos aprendizes por ano.
  •     A Safran pretende desenvolver programas para aprendizes nas suas filiais europeias e promover programas de mobilidade internacional. A Safran receberá entre 2 000 e 3 000 aprendizes por ano.
  •     A Capita oferecerá aos jovens mais de 500 postos para aprendizes este ano e incentivará outros grandes empregadores a fazer o mesmo, através do recrutamento e a formação de 400 aprendizes para a administração pública e mais de 600 para o setor bancário.
  •     A CSR Europa ajudará as empresas da sua rede a melhorar a qualidade dos programas para aprendizes e de estágio, dando a oportunidade a 50 000 jovens de beneficiarem de uma formação de qualidade até ao final de 2017.

Outras empresas que aderem à Aliança são a Bertelsmann, a SAICA e a Verallia Saint-Gobain.

Os parceiros sociais europeus apresentaram novos compromissos nos setores da construção civil, da indústria química, do comércio e da educação. Cinco foram assumidos por sindicatos nacionais de professores e um sexto por um sindicato francês do setor da energia. Além disso, outros compromissos decisivos foram assumidos pelo Governo escocês, pela Associação Europeia de Autoridades Locais e Regionais para a Aprendizagem ao Longo da Vida, e pelo grupo de reflexão da Fundação Bertelsmann.

Estes novos membros juntam-se aos membros e governos que já fazem parte da Aliança Europeia da Aprendizagem.

Para mais informações:
http://ciedbraganca.ipb.pt/wp/wp-content/uploads/2015/06/programas-para-aprendizes.pdf

 

Share