Investigação e InovaçãoUE deve explorar melhor o conhecimento que produz e transformar o seu potencial de inovação em crescimento económico.

A investigação e a inovação devem ser prioritárias nos orçamentos nacionais e da União Europeia, duplicando o orçamento do programa que venha a suceder o Horizonte 2020, o atual programa de investigação e inovação da UE.

Devem também envolver os cidadãos na resolução de desafios globais através de missões de inovação amplamente mobilizadoras.

Estas são algumas das onze recomendações apresentadas  à Comissão Europeia numa nova visão para a investigação e inovação da UE que foi preparada por um grupo independente de alto nível de peritos liderados por Pascal Lamy, presidente emérito do Instituto Jacques Delors.

Inspirados pelo relatório, mais 700 cientistas, inovadores, empresários e decisores políticos discutem o futuro da investigação e inovação na Europa na conferência Research & Innovation – Shaping our future, organizada por Carlos Moedas, Comissário para Investigação, Ciência e Inovação.

O Comissário Moedas afirmou: «A investigação e a inovação fazem uma grande diferença na produtividade, aumentando a competitividade e melhorando de forma tangível a nossa qualidade de vida. A Europa é uma potência cientifica global, mas é preciso aproveitar melhor os benefícios deste conhecimento, transformando-o em valor para a economia e para a sociedade através da inovação. Recebo calorosamente o trabalho do grupo independente presidido por Pascal Lamy. As suas recomendações constituem uma base sólida para a nossa reflexão sobre o programa de financiamento que vai suceder o Horizonte 2020».

Para mais informações:
https://ec.europa.eu/portugal/news/call-increasing-eu-investment-research-innovation-europe-future_pt

Share