Ano EuropeuNo Dia da Europa, que se comemora todos os anos no dia 9 de maio, festeja-se a paz e a unidade do continente europeu. Esta data assinala o aniversário da histórica «Declaração Schuman». Num discurso proferido em Paris, em 1950, Robert Schuman, o então Ministro dos Negócios Estrangeiros francês, expôs a sua visão de uma nova forma de cooperação política/económica na Europa, que tornaria improvável a eclosão de uma guerra entre países europeus.

Defendia-se assim a criação de uma instituição europeia encarregada de gerir em comum a produção do carvão e do aço. Menos de um ano mais tarde, era assinado por seis países europeus (Alemanha, Bélgica, França, Itália, Luxemburgo e Países Baixos – países fundadores da União Europeia) um tratado que criava uma entidade com essas funções. Considera-se que a União Europeia atual teve início com a proposta de Schuman.

Este ano, o tema das comemorações do Dia da Europa é o Ano Europeu do Património Cultural.

Por proposta da Comissão Europeia o Parlamento Europeu adotou a Decisão que estabelece 2018 como o Ano Europeu do Património Cultural (AEPC 2018). O AEPC 2018 é enquadrado pelos grandes objetivos da promoção da diversidade cultural, do diálogo intercultural e da coesão social, visando chamar a atenção para o papel do património no desenvolvimento social e económico e nas relações externas da União Europeia.

Dos sítios arqueológicos à arquitetura contemporânea, dos castelos medievais às tradições folclóricas e às artes, o património cultural da Europa está no âmago da memória e da identidade coletiva dos cidadãos europeus. Além disso, o património cultural promove o crescimento e de emprego nos municípios e regiões da Europa e é fundamental para o intercâmbio destes com o resto do mundo.

7,8 milhões de postos de trabalho na UE estão indiretamente ligados ao património (por exemplo, no setor do turismo, da interpretação e da segurança). Mais de 300 000 pessoas trabalham no setor do património cultural da UE, representando a Europa, enquanto região, quase metade da Lista do Património Mundial da UNESCO, graças aos seus 453 sítios inscritos.

Foi por isso, e também porque alguns dos tesouros do património cultural estão atualmente ameaçados ou a ser destruídos deliberadamente em zonas de conflito, que a Comissão considerou que o património cultural merecia ser lembrado num ano europeu em 2018.

O património cultural tem um valor universal para nós como indivíduos, comunidades e sociedades. É importante preservá-lo e transmiti-lo às gerações futuras. A nossa herança desempenha também um importante papel na construção do futuro da Europa.

O património cultural pode ser:

Património Cultural Material – O que se designa “património material” é concreto que pode ser tocado. Nele se incluem manifestações de cultura material, paisagens e /ou espaços naturais (habitats naturais, formações geológicas…). Outros exemplos de património cultural material são: trajes, museus, teatros, igrejas, praças, universidades, monumentos, obras de arte e utensílios.

Património Cultural Imaterial – O conceito “património imaterial” reveste-se de um maior grau de abstração. São por exemplo os valores, as crenças, o folclore, as danças, músicas, culinária, festas, feiras e manifestações e rituais de religiosidade. O património cultural imaterial envolve valores, práticas e conhecimentos transmitidos de geração em geração.

Para mais informações:
https://europa.eu/european-union/about-eu/symbols/europe-day_pt
https://europa.eu/cultural-heritage/about_pt

 

 

 

Share