No início de novembro o Centro Europeu Direct deu início a um conjunto de publicações no Jornal Mensageiro de Bragança no sentido de esclarecer os cidadãos acerca do modo de funcionamento do Parlamento Europeu bem como da importância da sua participação nas próximas Eleições Europeias.

Dado que em 2019 terão lugar as Eleições Europeias para o Parlamento Europeu, cumpre-nos levar a cabo um conjunto de ações de esclarecimento e informação sobre esta instituição bem como sobre a importância destas eleições.

Em Maio de 2019 os cidadãos europeus com mais de 18 anos poderão expressar a sua escolha votando, e assim elegendo os deputados que irão representar o seu país no Parlamento Europeu.

Na U.E. a taxa de participação nas últimas eleições europeias (2014) foi de 42,54%, a mais baixa verificada desde sempre. Esta média europeia encobre consideráveis diferenças entre os 28 Estados-Membros em que a máxima participação se verificou na Bélgica (89,6%) e a mínima foi registada na Eslováquia com 13,1%. A média europeia de participação nas eleições Europeias que tem vindo a decrescer, inclui (7) países cuja participação tem aumentado, outros (6) em que a afluência às urnas é estável, e 15 estados cuja participação nas Eleições europeias tem vindo a diminuir.

BB

 

 

 

 

Analisando agora em mais detalhe a afluência às urnas nas eleições europeias de 2014, o gráfico abaixo apresentado detalha as percentagens de participação nestas eleições, por país. Aí se revelam taxas de abstenção superiores a 50% em 20 dos 28 Estados –Membros. Neste grupo inclui-se Portugal que registou uma participação de apenas 33,44%.

CCc1

 

 

 

 

 

O que explica este desinteresse das populações em participar nestas eleições cujo resultado terá importantes repercussões na política e legislação europeia aprovada em vários domínios, que por sua vez irá enquadrar a vigente nos diferentes Estados-Membros.
Um estudo da Direção Geral de Comunicação feito em Outubro de 2014 tentou apurou juntos dos cidadãos as razões que os levam a uma não participação das Eleições Europeias.
Quanto às razões mais referidas pelos não votantes, sobressai, tal como em 2009, a falta de confiança e de interesse na política em geral: «falta de confiança/insatisfação face à política, em geral»; «não se interessa pela política»; «votar não tem consequências/votar não altera nada».
Saliente-se que, entre os referidos motivos para a abstenção, os que respeitam a uma relutância face à UE não fazem parte das respostas mais citadas: falta de interesse pelos assuntos europeus, descontentamento com o PE, falta de conhecimento da UE, oposição à UE e falta de debate público.
Face a estes resultados e propondo-nos contribuir com informação para que haja uma maior participação nas Eleições Europeias pensamos que é essencial dar a conhecer a lógica do funcionamento das instituições europeias, e em particular do Parlamento Europeu, de forma a que os potenciais votantes compreendam realmente a importância da sua participação neste escrutínio. Por outro lado, dar a conhecer o modo efetivo como as medidas de política europeia tem relevância na nossa vida quotidiana, nas oportunidades que a diferentes níveis nos proporcionam e na forma como nos podem ajudar a concretizar sonhos/aspirações, é também crucial.

Assim, o nosso 1º propósito nesta ação de informação sobre o Parlamento Europeu, será o de mostrar através da apresentação de casos de sucesso de exercício da cidadania europeia, por indivíduos que residindo agora em Trás-os-Montes contam (ou contaram), com apoios da União Europeia na efetivação de projetos que enquadram as suas atividades de trabalho e ou lúdicas, que integram os seus quotidianos.

Serão apresentadas um conjunto de Histórias de vida que poderão explicar ao leitor a importância das medidas que na U.E. permitiram aos diferentes atores apresentados traçar o seu rumo. Pretendemos assim alertar os leitores para a premência da participação de todos nestas eleições, tendo em conta os projetos e propostas dos diferentes partidos concorrentes, nos diversos domínios de atuação na União Europeia.

Par mais informações:
http://ciedbraganca.ipb.pt/

Share