A radioactive sign hangs on barbed wire outside a café in Pripyat.A Comissão Europeia vai hoje aumentar em 70 milhões de euros a sua contribuição para assegurar a restauração completa de um ambiente seguro em Chernobil, na Ucrânia.

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, declarou a este respeito: «A União Europeia já concede um apoio financeiro sem precedentes à Ucrânia e prosseguimos hoje essa ação, com o compromisso de afetar mais 70 milhões de EUR para assegurar a restauração completa de um ambiente seguro no local do terrível acidente de Chernobil. Os nossos gestos valem mais do que as nossas palavras. A UE ajuda Chernobil a tornar-se de novo um local seguro.»

O compromisso de 70 milhões de EUR, anunciado na Cimeira União Europeia-Ucrânia, vem juntar-se aos cerca de 360 milhões de euros já concedidos para a realização de uma série de projetos, nomeadamente a construção da nova estrutura de confinamento seguro em torno do atual «sarcófago» e do reator 4 destruído no acidente de 1986.

O objetivo do novo confinamento de segurança é proteger o ambiente contra as fugas radioativas e criar a infraestrutura que permita o desmantelamento do «sarcófago» e dos restos do reator, assim como as operações de gestão de resíduos nucleares.

A construção da nova estrutura de confinamento seguro (iniciada em 2010 pelo consórcio Novarka sob direção francesa) encontra-se numa fase avançada de realização. Prevê-se que seja colocada sobre o reator até meados 2017, envolvendo um custo total de cerca de 1,5 mil milhões de euros.

Este anúncio ocorre poucos dias antes da realização de uma conferência de doadores com vista a colmatar o atual défice de financiamento de 615 milhões de EUR para completar o plano de proteção (o programa que cobre o novo confinamento de segurança). A conferência, a realizar no dia 29 de abril em Londres, é organizada pela atual Presidência do G7 (Alemanha) e pelo Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento (BERD), que gere os fundos internacionais.

Para além do contributo da Comissão Europeia, os Estados-Membros da UE contribuíram com cerca de 420 milhões de EUR até à data, esperando-se que venham a reforçar ainda mais o seu apoio na conferência. O BERD irá contribuir com um montante adicional de 350 milhões de euros que será anunciado na próxima conferência. Contam-se entre os grandes doadores países não pertencentes à UE, como os Estados Unidos, a Rússia, o Japão, o Canadá e a China.

O novo projeto de confinamento seguro:

O novo confinamento seguro restabelecerá a segurança no local do ponto de vista ambiental. A sua duração de vida de, pelo menos, 100 anos, permite elaborar e aplicar estratégias de atenuação para o tratamento futuro do reator danificado. A nova estrutura confinamento seguro está a ser construída no local e posteriormente será colocada sobre o sarcófago que envolve a destruída unidade 4.

O sarcófago, construído em 1986 não foi concebido como solução permanente e, em 1997, com o forte apoio da Comissão Europeia, um grupo de peritos internacionais da UE, dos EUA, do Japão e da Ucrânia concluiu um programa pluridisciplinar de gestão da construção, designado Plano de Proteção (Shelter Implementation Plan — SIP).

Em 1997, o G7, a Comissão e outros doadores solicitaram ao BERD que criasse o Fundo de Proteção de Chernobil para a execução SIP. Até 2007, 10 anos após o acordo sobre o SIP, foram empreendidas várias ações que abriram o caminho à construção de uma nova estrutura de confinamento seguro.

Restabelecer a segurança em Chernobil:

No total, a Comissão Europeia atribuiu mais de 600 milhões de euros a projetos em Chernobil, nomeadamente:

  •     Projetos industriais: 480 milhões de euros, dos quais 400 milhões foram canalizados através dos fundos internacionais e 80 milhões diretamente pela Comissão Europeia
  •     Apoio à produção de eletricidade: cerca de 65 milhões de euros
  •     Projetos sociais: cerca de 15 milhões de euros
  •     Projetos de investigação: cerca de 100 milhões de euros.

Para mais informações:
http://ciedbraganca.ipb.pt/wp/wp-content/uploads/2015/04/Chernobil.pdf

Share