previsoes-outono2016-ue copyO crescimento económico na Europa deve continuar a um ritmo moderado, dado os recentes ganhos a nível do mercado de trabalho e o aumento do consumo privado estarem a ser contrabalançados por um certo número de entraves ao crescimento e pela atenuação de fatores favoráveis. Nas suas previsões do outono, a Comissão Europeia prevê que o crescimento do PIB da zona euro seja de 1,7% em 2016, 1,5% em 2017 e 1,7% em 2018 (Previsões da primavera: 2016: 1,6%, 2017: 1,8%). O crescimento do PIB no conjunto da UE deverá seguir uma trajetória semelhante e deverá situar-se em 1,8% neste ano, 1,6% em 2017 e 1,8% em 2018 (Previsões da primavera: 2016: 1,8%, 2017: 1,9%).

consumo privado deverá continuar a ser o principal motor de crescimento até 2018, apoiado por expectativas de crescimento do emprego e de subida ligeira dos salários.

Os custos de financiamento continuam a ser favoráveis ao crescimento devido a uma política monetária excecionalmente flexível.

défice orçamental agregado da zona euro deverá continuar a baixar, embora a orientação da política orçamental deva manter-se não restritiva. O investimento deverá continuar a aumentar.

No entanto, a incerteza política, a lentidão do crescimento fora da UE e a debilidade do comércio mundial afetam as perspetivas de crescimento.

Existe ainda o risco de que o fraco desempenho da economia nos últimos anos possa obstar ao crescimento, e o abrandamento persistente da atividade aponta para a possibilidade de um crescimento mais rápido, sem pressões inflacionistas indevidas. Além disso, nos próximos anos, a economia europeia deixará de poder basear-se no apoio excecional que tem recebido de fatores externos, tais como a queda dos preços do petróleo e a desvalorização cambial.

O Vice-Presidente Valdis Dombrovskis, responsável pelo Euro e o Diálogo Social, afirmou: «As economias da UE têm-se revelado com capacidade de resistência. Esperamos que todas as economias dos Estados-Membros cresçam no próximo ano. À luz do aumento mundial da incerteza, torna-se agora ainda mais importante prosseguir políticas macroeconómicas e orçamentais sãs e prudentes. Ao mesmo tempo, é crucial abordar as desigualdades existentes nas nossas sociedades, para que ninguém se sinta abandonado.»

Pierre Moscovici, Comissário responsável pelos Assuntos Económicos e Financeiros, Fiscalidade e União Aduaneira, afirmou: «O crescimento europeu prosseguirá em 2017 num contexto mais desafiante do que na primavera. O ritmo de criação de emprego, impulsionado pelas recentes reformas realizadas em muitos países, reduzindo os défices públicos na zona euro, uma retoma do investimento e um comércio intra-UE mais dinâmico são fatores particularmente promissores. Nestes tempos de incerteza e volatilidade, não devem ser poupados esforços para salvaguardar e reforçar esta retoma, bem como assegurar que todos os segmentos da sociedade sintam os seus benefícios.»

Para mais informações:
http://ec.europa.eu/portugal/news/autumn-2016-economic-forecast_pt

 

 

Share